Estabilizantes

Os estabilizantes são compostos básios que em combinação com lubrificantes, formam sistema de estabilização extraordinariamente eficientes para a transformação do PVC. Os estabilizantes proporcionam ao produto final:

Boa estabilidade térmica
Boa estabilidade à luz
Boas características eléctricas

Utilizam-se sobre tudo em tubos, fittings, perfis para a construção, perfis de janela, paineis, recobrimento de solos, cabos,…

Ecología

Os estabilizantes aplicam-se exclusivamente em produtos de longa duração, de maneira que no lixo doméstico só e formam pequenas quantidades de resíduos de PVC.

Os compostos que se usam na transformação do PVC são dificilmente solúveis, estão ancorados solidamente na matriz do PVC e são dificilmente voláteis.

Investigações de laboratório demonstram que as partículas de PVC que se encontram nos escombros não manifestam apenas fenómenos de fugas no que respeita aos estabilizantes e que portanto não produzem uma contaminação das águas infiltradas.

 

Reciclagem do PVC

  • O PVC é um material 100% reciclável. O PVC reciclado utiliza-se para fabricar tubo co-extrudido, tubos eléctricos, calhas de cabos, caleiras, algerozes para escoamento de água, acessórios, ladrilhos.
  • O papel, os plásticos e os cartões recolhidos separadamente usam-se para fazer combustível derivado de embalagens ou para o seu reciclado depois de triturado.
  • O lixo doméstico classifica-se e usa-se para combustível em centrais termoélectricas, queimadores industriais ou incineração.
  • Água quente para aquecimento de lares, escolas e industria.
  • Vapor para a industria
  • Electricidade para a rede nacional
  • Garrafas de plástico, etc., reciclam-se. O PVC identifica-se e separa-se. Uma vez separado, tritura-se em forma de escamas, lava-se e eliminam-se as impurezas presentes (tampas, etiquetas, cola…). Por ultimo as escamas reduzem-se a um pó fino, pronto para ser reutilizado.

Recuperação térmica

Uma das vantagens do PVC é o seu baixo conteúdo em carbono, pelo que ao queimar-se liberta menos dióxido de carbono (CO2) que o carvão.

O PVC conjuntamente com outros plásticos faz com que o consumo de combustível em instalações de incineração de resíduos municipais se torne desnecessário.

A recuperação térmica de lixos tem duas vantagens: recupera a energia em forma de vapor ou electricidade e reduz o volume de resíduos.

Balanço ecológico

O PVC provém do sal (em 57%) e do petróleo (em 43%). A sua dependência do petróleo é, portanto, inferior à dos restantes plásticos.

A fabricação da totalidade dos plásticos representa 4% do consumo mundial do petróleo, da qual só 0,5% corresponde ao PVC.

petrolero

Visto que o sal é uma matéria-prima muito abundante e o consumo do petróleo para fabricar o PVC é muito moderado, resulta que o PVC tem uma grande vantagem frente aos outros polímeros e frente a outros materiais, por contribuir em uma melhor utilização dos recursos naturais.

Os estudos realizados sobre a incidência do PVC no meio ambiente, mostram um balanço ecológico favorável a este material plástico, quando se compara tanto com os materiais tradicionais como com os outros plásticos.

Se a proporção dos plásticos pode parecer importante em volume, em peso apenas ronda os 0,7% do total de resíduos domésticos recolhidos em cada ano na Europa.

cuboreciclaje

Os objectos de PVC têm uma grande estabilidade no aterro; inclusivamente no caso de que parte dos plastificantes migra das capas superficiais do PVC flexível, estes bio degradam-se em 90% ao fim de 30 dias.

Além do mais a estanquicidade dos fundos de alguns aterros está assegurada por lâminas de PVC plastificado.

Porém, o deposito do PVC em aterros não pode considerar-se uma solução.

É preferível o reciclado ou a recuperação térmica.